Jornal do CAECO

Archive for the ‘Boletim da PG’ Category

Prezado ingressante,

Em primeiro lugar, gostaríamos de parabenizar a sua aprovação na pós-graduação. Seja bem vindo ao Instituto de Economia (IE/Unicamp)! Temos a certeza que aqui no Instituto muitos dos debates realizados nas disciplinas, seminários, conversas de corredor, etc. ajudarão nas suas pesquisas, crescimento e amadurecimento intelectual.

Gostaríamos de aproveitar este espaço também para informá-lo sobre algumas questões importantes deste Instituto, mais especificamente da pós-graduação. O ano de 2010 é especial para nós, devido à reforma curricular da pós-graduação e a formulação de um regimento para o Fórum dos alunos da pós-graduação, que é a instância máxima de representação dos estudantes da pós-graduação, dentre outros.

Consideramos que a sua participação nestas discussões é de extrema importância, pois só assim poderemos construir um curso melhor. Além disso, também faz parte da vivência de uma pós-graduação a troca de experiências e de opiniões, uma vez que neste ambiente encontram-se pessoas de várias regiões do país, tanto discente como docente.

No Instituto há várias oportunidades de atuação fora da sala de aula. A representação estudantil é uma delas, sendo que anualmente é realizada uma eleição para os representantes na Comissão de Pós-Graduação (CPG), que é uma instância onde se decidem questões referente à pós, e para a Congregação, instância máxima de deliberação do Instituto de Economia. Os estudantes da pós também podem participar das chapas e reuniões do CAECO (Centro Acadêmico de Economia).

A Revista Leituras de Economia Política (LEP) é uma oportunidade para os alunos da pós vivenciarem um ambiente de editoração de uma revista. Todo o processo de realização da LEP é feita pelos alunos da pós-graduação. A LEP tem como proposta ser um espaço para publicação de artigos científicos de alunos da pós-graduação de todo o Brasil. Provavelmente você recebeu uma carta de boas vindas e um exemplar da Revista enviada pelo Instituto.

Além disso, há possibilidade de atuação em pesquisa nos vários Centros e Núcleos desta Instituição. Informe-se sobre as possibilidades de participação na sua área de interesse.

Porém, cabe colocar que nem todos os alunos na Unicamp são iguais. A categoria aluno especial, é uma forma de vínculo diferente da forma de aluno regular na Unicamp. Existem vantagens e desvantagens em ser aluno especial, que precisam ser ponderadas pelo pós-graduando ao aceitar o convite para participar do programa nesta condição.

O aluno especial que for aprovado em processo de seleção para a pós-graduação no Instituto de Economia (IE), apresenta uma vantagem para o estudante porque não há prazo de integralização do curso durante o período que estiver nessa situação. No caso do aluno regular, este prazo é no máximo de 36 meses para o mestrado e de 48 meses para o doutorado. O tempo de integralização para o aluno regular com bolsa pode reduzir dadas as exigências das agências financiadoras.

O aluno especial, uma vez aprovado no processo seletivo, não precisará passar novamente por outra seleção para tornar-se regular. Para tornar-se regular o aluno especial precisa ter o aval do orientador e procurar a secretaria acadêmica. A transição somente é realizada antes do período de matrícula dos alunos, por tal motivo o aluno especial deverá procurar a secretaria acadêmica com antecedência.

No entanto, o aluno especial, não tem direito a diversos serviços da UNICAMP, das quais um aluno regular tem direito:

  • não tem direito à moradia estudantil;
  • não tem vínculo jurídico de estudante com a UNICAMP;
  • não tem direito à ajuda de custo do Instituto de Economia para eventos;
  • não tem direito à bolsa de estudos;
  • não conta como mestrando ou doutorando para concursos.

Além disso, o aluno especial terá de renovar o seu vínculo com a Universidade semestralmente. Para ter acesso aos serviços que a Unicamp oferece ao aluno especial, este terá que solicitar junto à Diretoria Acadêmica (DAC) o cartão universitário no qual terá de pagar uma taxa todo semestre de R$ 24,00.

Os serviços que o aluno especial tem acesso, por meio de seu cartão universitário, são o Restaurante Universitário (RU), o Sistema de Biblioteca da UNICAMP (SBU) e ao Setor de Processamento de Dados do Instituto de Economia (SPD/IE).

A refeição no RU custa o mesmo preço para o aluno regular e especial, ou seja, R$ 2,00. No SBU o aluno especial tem direito a retirar até 5 livros simultaneamente com prazo de devolução de 14 dias. Por outro lado, o aluno regular tem direito a até 10 livros com prazo de devolução de 28 dias. No SPD, o aluno especial tem os mesmos direitos do aluno regular, quais sejam, acesso ao laboratório de informática e cota de impressão de 400 folhas por semestre.

Para mais informação, sugere-se acessar: Sistema de Biblioteca da UNICAMP (www.sbu.unicamp.br), Diretoria Acadêmica (www.dac.unicamp.br), Serviço de Apoio ao Estudante (www.sae.unicamp.br).

Retornando às questões mais especiais para este ano, a que tange ao Fórum é a menos complexa e por isso a trataremos primeiro. No ano passado foi realizada uma reunião envolvendo os alunos dos dois programas de pós-graduação que decidiram que o Fórum é a instância máxima de representação dos estudantes da pós-graduação. Nas reuniões do Fórum, que são convocadas pela representação estudantil, pode ser discutido qualquer assunto relacionado com qualquer programa da pós-graduação, problemas particulares e gerais. Contudo, ficou pendente a formulação de um regimento que é importante para a institucionalização desta instância de representação. Anualmente é retirada no Fórum uma Comissão Eleitoral para realizar as eleições para a representação discente na CPG.

O outro tema importante para este ano é a reforma curricular. Algumas pequenas mudanças foram realizadas ao longo dos últimos anos. O Instituto tem se deparado com problemas que afetam muitas Universidades Públicas, como a aposentadoria e licenciamento de grande parte do seu corpo docente sem a renovação e contratação na mesma quantidade. Outro problema é responder nessa conjuntura por uma qualidade e pontuação na CAPES. Esta nota, segundo a justificativa da reforma, está diretamente ligada ao cumprimento dos prazos pelos alunos em suas defesas. Isto significou olhar para a estrutura do curso, que possui mais matérias obrigatórias que a média dos cursos de pós-graduação no país.

Ao longo do primeiro semestre de 2010 será realizada a discussão sobre a reforma. Na última quarta-feira de março será realizada uma reunião de dia inteiro entre professores, representantes e convidados para discutir inicialmente as propostas. A partir desta reunião, a idéia é que ao longo do semestre os debates vão amadurecendo para chegar na última Congregação do semestre e aprovar a mudança curricular. Se esta for aprovada, a intenção é que as turmas que ingressarão neste ano já peguem a reforma.

A Proposta de reforma da pós-graduação seria para todos os mestrados e doutorados. O Doutorado já tem uma proposta bem desenhada. Seriam 5 matérias que comporiam um núcleo mínimo entre os dois doutorados e diversas outras eletivas:

– métodos quantitativos

– economia política

– seminários permanentes sobre capitalismo

– teoria do desenvolvimento

– seminários permanentes sobre Brasil

O Mestrado em Economia (ME) também apresentou sua proposta inicial. Continuariam 10 matérias, sendo 6 obrigatórias:

– Macro

– Micro

– Métodos Quantitativos

– Economia Política

– Economia Brasileira Contemporânea

– Economia Internacional (e financeira talvez)

A proposta é que a matéria de métodos quantitativos seja realizado por pequenos módulos que seriam acessados pelos pós-graduandos de acordo com suas necessidades. Será necessário completar um número determinado de módulos (ou horas/aula) pra ter os créditos dessa matéria.

O importante neste momento é debater os rumos da pós-graduação como um todo e não de maneira segmentada. Discutir o destino do Instituto de Economia, ao que ele se propõe a ser e às tarefas que ele se propõe enfrentar. Além disso, discutir conteúdo das matérias e seu encadeamento dentro do curso. Os alunos da pós-graduação têm que estar por dentro e preparados para a discussão. Por isso, gostaríamos de chamar a todos e todas para uma reunião do Forum no dia 10 de março de 2010, quarta-feira, às 18hs, no pavilhão da pós-graduação. Assim, construiremos um processo de decisão conjunta na qual os representantes discentes se  posicionarão nas reuniões sobre a reforma.

Representação Discente

Anúncios