Jornal do CAECO

Um CAECO pra quem? #2

Posted on: 16/06/2011

Ter visto o segundo debate das eleições do CAECO foi uma experiência muito peculiar. Como no primeiro, já imaginava que meu animo iria se exaltar, mas o humor (ou mau-humor) que senti diante daquela discussão, acalorada, sobre “integração” e diante do festival de acusações, que permeou o debate, é inexplicável. Por não conseguir conte-lo em mim, escrevo aqui minhas impressões dos dois debates.

Imagino que ambas as chapas tenham idéias incríveis para “integrar” todo mundo do IE, que acreditem que estão mais bem preparadas e têm mais competência para fazer isso. Mas uma coisa me chamou a atenção: como a chapa “Um CAECO para você” imagina promover essa tão famigerada INTEGRAÇÃO!

No fim da tarde de uma terça-feira fria algumas pessoas se reúnem para assistir o segundo grande debate das eleições do CAECO 2011. As chapas se preparam, as regras são explicadas em meio algum tumulto da platéia, que se ajeita como dá. O relógio é ativado e… Primeira a falar “Um CAECO para você”: Começa esclarecendo o famoso incidente da “bola de cristal” que aparentemente rendeu vários posts no Facebook. Tudo explicado, agora é hora de mostrar por que eles são melhores em “integrar”. E a justificativa? É só olhar os eventos da atlética! Eles “Integram” bastante, muita gente vai, a maioria das pessoas tem uma ligação com a atlética e/ou com seus integrantes (bem como com as pessoas que compõe a chapa, fato importantíssimo que foi citado em outro momento). O restante do debate me parece meio obscuro, já que essa fala foi o suficiente para me tirar o animo.

Ok. Vamos supor que seja verdade, vamos supor que a maioria dos alunos do IE gosta e freqüenta esses eventos (será?). Eu fico me perguntando e eu? Eu não me sinto “integrada” com a atlética, não freqüento muitos eventos da economia. Aparentemente, por ser minoria eu tenho que me conformar e seguir a tendência. Tudo bem, maioria é maioria… Mas a idéia toda dessa tal de “integração” não é juntar todo mundo? Maioria, minoria, mulheres, homens e afins? Como a chapa pretende fazer isso se já vem com essa idéia de que representa a maioria (maioria de que? De quem?) e de que essa é a função do CAECO?

E a palavra da moda é “Integração”!! Achei estranho ter ouvido poucas vezes “tolerância” e “respeito”. Para mim, é quase impossível desconectar essas três palavras. Tolerância e respeito, na minha visão, são essenciais para que ocorra essa integração megalomaníaca que se espera. Por isso além de mau humor, fiquei confusa com a posição tomada pela chapa “Um caeco para você”. Não era justamente a falta de espaço para visões diferentes que eles criticam na gestão atual? E desde quando “maioria” é “diferente”? Afinal, intolerância da maioria ou da minoria, no limite não é intolerância de qualquer forma? Talvez os integrantes da chapa não tenham pensado nisso, talvez, não tenha sido isso que eles queriam dizer. O que importa é que foi dito, mais de uma vez.

Recordo-me de um episódio do primeiro debate, em que foi feita uma pergunta nesse sentido. Ao serem questionados sobre o machismo e a homofobia, os integrantes da tal da chapa de “oposição” se colocaram, obviamente, contra essas manifestações, mas admitiram nunca terem pensado no assunto(????).

Bom, vivemos em um mundo intolerante. Um mundo repleto de pré-conceitos, fobias, pudores, fascismos, em todos os âmbitos de nossas vidas e nas relações hierárquicas que construímos e mantemos todos os dias. A intolerância, de muitos tipos, nos rodeia o tempo todo, está dentro de nós, está em todos os lugares. Não ficou claro se os integrantes da chapa “Um CAECO pra você” acredita realmente que por algum motivo transcendental, o IE está livre dessas intolerâncias e por isso, contornam discussões desse tipo, ignoram as minorias, o diferente, ou se o fazem por que não reconhecem o assunto como sendo relevante e nunca “pensaram nisso”. Acho que o festival de acusações que ocorreu durante os debates, por parte de ambas as chapas e por parte dos que estavam assistindo, é uma prova irrefutável de que infelizmente não, nosso querido Instituto de Economia não alcançou o nirvana. Outra demonstração desse fato, foi o repudio da chapa em questão, em nome de TODOS, a uma ação individual que ocorreu durante a greve- a pichação do muro- (Oh não! eu não repudiei a ação, sou minoria de novo). Por esses e outros tantos fatos vou supor a segunda opção: eles não reconhecem o assunto como sendo relevante.

Dessa forma, a questão que ficou martelando na minha cabeça foi: como posso acreditar que uma chapa que não consegue identificar essa intolerância tão obvia, a ponto de nunca ter se proposto a refletir sobre ela; e parte do pressuposto de que a “maioria” e “todo mundo” são sinônimos, pode realmente conseguir unir pessoas de diferentes tipos para construir um espaço de e com todos? A conclusão: acho que não posso acreditar.

Eu não quero um centro acadêmico da maioria, nem da minoria, nem de ninguém. Eu quero um centro acadêmico livre de qualquer tipo de pensamento pré-moldado. Um espaço em que todas as manifestações, atividades, propostas, idéias, sejam bem-vindas. Um espaço dos estudantes e para os estudantes. Utópico? Talvez. Mas para mim isso sim é integração e eu acho que a chapa um “CAECO para você” está caminhando na direção contraria.

Marina 09

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: